Search for:

É CONFIÁVEL FAZER CONSÓRCIO?

Iniciar um plano de consórcio é uma decisão importante para quem faz, já que precisa ser feito com muita segurança.

É preciso saber se a administradora em que você está entrando é confiável. Afinal, esta é uma parceria que pode durar anos e, na maioria das vezes, representa a realização de um grande sonho.

Por isso, antes de colocar um sonho nas mãos de uma empresa, o recomendado é conhecê-la melhor, e a fonte mais segura para descobrir isso é diretamente no Banco Central.

Neste momento, a pesquisa é a melhor arma para evitar as inúmeras fraudes que infelizmente acontecem por aí.

Como Iniciar esta pesquisa?

Para começo de conversa, a administradora precisa ser autorizada pelo Banco Central, o órgão fiscalizador de todos os consórcios no país.

Para descobrir esta informação é muito simples, basta acessar o site do Banco Central. Na seção “perfil cidadão”, você encontrará o tópico “Consórcios e Administradoras”, trazendo a lista de empresas por segmento.

Caso a instituição que você procura não aparece nesta relação, nada feito, ela não possui autorização para funcionar.

Além desta pesquisa, aconselha-se dar uma olhada se a empresa possui muitas reclamações, entrando em contato com Procon da região.

Leitura do Contrato

Antes de assinar o contrato de adesão, leia todos os termos com muita atenção.

A taxa de administração deve ficar bem clara, assim como o número total de parcelas e as regras de contemplação.

Se houverem outras taxas, procure entender muito bem, pois as administradoras não podem cobrar taxas de adesão. Não leve dúvidas para casa.

Comprar uma carta já contemplada

Muitas vezes os sorteados de um lance resolvem passar a carta de crédito para outra pessoa para receberem o valor em dinheiro.

Com o contrato em mãos, informe-se sobre as parcelas que faltam e a taxa de transferência, conferindo quem é responsável por esta cobrança, se ela existir.

Por fim, compare se um consórcio novo não seria mais vantajoso, tanto em termos de segurança como até mesmo financeiramente.

É por todos esses motivos que é fundamental escolher bem a administradora de consórcio que está contratando.

Dê preferência a empresas consolidadas, que tenham tradição no ramo e possam oferecer toda a confiança que você precisa para realizar suas conquistas.

Consórcio de Motocicletas cresce.

O consórcio de motocicletas apontou crescimento em todos os seus indicadores no primeiro quadrimestre do ano: adesões, tíquete médio, créditos comercializados, participantes ativos, contemplações e créditos concedidos.

Em contemplações, o aumento foi de 4,3%, totalizando 184,39 mil consorciados com o crédito disponível para escolher sua moto (ou qualquer outro veículo) que desejar!

fonte:ABAC

Consórcio de Produtos em Geral

De janeiro a maio deste ano, o consórcio de eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis continuou apresentando tendência de crescimento.

O segmento registrou alta de 25,6% no total de participantes ativos, além de crescer nas adesões (30,18 mil/+9,1%) e nos créditos comercializados (R$ 270,99 milhões/+28%).

fonte:ABAC

Consórcio de Caminhão, Tratores e Pesados.

Os grupos de consórcio de veículos pesados, que incluem caminhões, tratores, implementos rodoviários e agrícolas, encerraram os cinco primeiros meses do ano com R$ 12 bilhões de créditos vendidos!

Esse volume representa alta de 103% na comparação com o mesmo período do ano passado. O excelente desempenho é resultado do crescimento de 73,6% no nas 62,32 mil adesões a grupos desse segmento.

fonte: ABAC

Meia Parcela VKN Consórcios

Na VKN Consórcios você pode contar com a opção de pagar apenas a METADE DA PARCELA paraquem quer trocar ou comprar um automóvel novo, mas não quer pagar os juros abusivos do financiamento. Com o consórcio as parcelas são baixas, o que não compromete a renda mensal.

Quando contemplado, consorciado pode escolher se quer continuar pagando a metade da parcela e adquirir o valor da carta de crédito equivalente às prestações pagas, voltar à parcela cheia e abater a diferença do valor total da carta de crédito ou ainda, manter o plano, com a diferença diluída no restante das parcelas.

Na VKN Consórcios, nosso objetivo é ajudar o cliente a realizar o seu sonho de ter a sua conquista de forma sem pesar em seu orçamento!

Consórcio é investimento?

O consórcio está cada vez mais popular entre os brasileiros. A modalidade que vem crescendo mesmo em meio à pandemia, tem sido uma grande aliada para a realização de sonhos pessoais, familiares e profissionais. Mas será que podemos dizer que consórcio é investimento?

A resposta é… depende! Entenda abaixo.

O que é investimento?

Antes de começar, vamos esclarecer o que é investimento, pois é preciso compreendê-lo como algo além de uma aplicação financeira. De acordo com o Banco Central do Brasil, “investimento é a aplicação dos recursos que poupamos, com a expectativa de obtermos uma remuneração por essa aplicação”. 

Por exemplo: quando uma empresa adquire um ativo, como um veículo, imóvel ou equipamento, ela está fazendo um investimento, visto que esses ativos irão gerar renda. Ou seja, tanto ativos para o negócio, quanto aplicações financeiras são investimento.

Nesse sentido, a classificação do consórcio como investimento vai depender de como o bem ou serviço adquirido com o crédito será utilizado.

Vamos trazer agora este exemplo para a pessoa física. O bem adquirido pode gerar renda na forma de aluguéis, no caso de imóvel. Ou ser o instrumento de trabalho para um motoboy, no caso de motocicleta. O consorciado pode adqurir um carro para prestar serviços de transporte, como UBER. Ou um caminhão, para transporte autônomo ou frotista.

Modalidades para todos os gostos

O mercado financeiro é amplo e oferece uma gama extensa de produtos, cabendo ao consumidor ou investidor decidir por aquele que mais atende às suas necessidades em determinado momento de sua vida. Não fosse assim, todos investiriam em uma modalidade só, não é mesmo? 

Portanto, dependendo do objetivo do consorciado, podemos afirmar que consórcio é, sim, investimento.

Interessado em investir através do consórcio?! Clique aqui e realize uma simulação agora mesmo!

Poder de compra à vista: 7 dicas para uma boa negociação

Poder de compra à vista: quem tem, precisa saber aproveitar! É o que acontece com o consorciado contemplado, seja por sorteio ou lance. Ele ganha o direito de usar o crédito e pode negociar todos os benefícios de quem chega para comprar com dinheiro na mão! Para ajudá-lo nessa negociação, preparamos 7 dicas imperdíveis. Confira!

1 – Informe-se bem

Para negociar vantagens e descontos na hora da compra, inicie as negociações munido do máximo de informações. Pesquise sobre o bem ou serviço que pretende adquirir: quais suas características e quais as condições de compra e venda que o estabelecimento oferece. Também é importante saber quais as condições em que esse produto se encontra: caso seja um item usado (imóvel ou automóvel, por exemplo), informe-se se possui alguma pendência ou dívida.

2 – Compare os preços

A internet facilita a realização de pesquisa de preços. Vale a pena entrar em sites especializados em ofertas ou no bem que pretende adquirir, como casa, automóveis e viagens. Você precisa ter em mente uma margem do preço que é negociado no mercado. Se o produto já atingiu certa margem de descontos, é porque é possível negociá-lo. Em termos de preços, todos os produtos têm margem de negociação. Mesmo os baratos.

3 – Visite a loja física

Ir até o vendedor ou ao estabelecimento ajuda na pesquisa mencionada no item anterior. Além de esclarecer dúvidas, possibilita ainda um contato mais robusto para negociar preços e vantagens. Indo aos estabelecimentos, o cliente conhece melhor o produto que pretende adquirir. A loja física hoje é também um local de tirar dúvidas e onde o consumidor pode ter uma experiência com o produto.

4 – Vá acompanhado

Mesmo com muitas informações disponíveis, a insegurança pode bater na hora de negociar os produtos. Por isso, para aproveitar ao máximo seu poder de compra à vista, você pode ir até a loja ou vendedor acompanhado de algum especialista no assunto ou de alguém que já tenha feito a mesma transação que você fará. Além disso, é sempre bom pedir a opinião de quem vai desfrutar do bem ou serviço com você. Se for um casal, por exemplo, é importante decidir junto a compra de um imóvel ou veículo e analisar bem as condições de compra e venda.

5 – Evite revelar suas intenções financeiras

Na maioria dos casos, temos um valor fixo ou pouco flexível em mente para gastar. Na hora de negociar a compra de um bem ou produto, é melhor não falar abertamente ao vendedor sobre o quanto pretende gastar. O professor José Guilherme (UFPR) explica que o vendedor sempre vai perguntar a faixa de preço que pretendemos atingir e o melhor é dizer que você busca um bom custo-benefício. Assim, você pode analisar as possibilidades dentro do valor que você possui disponível.

6 – Não se deixe levar pelas emoções

A compra de um produto tão esperado pode gerar ansiedade e até pressa para fechar o negócio. Isso pode ser ruim na hora da negociação. “Ser levado a adquirir um bem que custa mais do que precisa e que compromete suas finanças deixa o orçamento apertado. Há ainda o risco de que ele não atenda às suas necessidades”, afirma o professor.

7 – Pense antes de fechar o negócio

Apresentadas todas as vantagens e possibilidades, é melhor voltar para casa e pensar com cuidado. Gastar um fim de semana analisando o que foi oferecido pelo vendedor pode te ajudar a tomar a decisão correta.

Essas são as nossas 7 dicas para o consorciado aproveitar o poder de compra à vista e se dar bem ao adquirir um produto ou contratar um serviço. Vale acrescentar que até 10% do valor do crédito obtido mediante do contemplação pode ser utilizado para o pagamento de despesas correlatas ao bem, como transferências de propriedade, tributos e registros cartoriais.

Que tal dar o próximo passo rumo ao seu objetivo realizando uma simulação?

Consórcio de caminhão: como funciona?

O consórcio de caminhão é uma maneira segura e econômica para quem busca adquirir esse tipo de veículo. Se esse é o seu caso, separamos algumas informações importantes para você entender o funcionamento e como fazer para comprar um caminhão através do consórcio.

Custos baixos, poder de compra à vista e diversidade de créditos e prazos para pagamento são algumas das vantagens proporcionadas pelo consórcio. O mecanismo é indicado tanto para pessoas físicas, que podem ver na compra do caminhão uma opção para atuar de forma autônoma, quanto para pessoas jurídicas, já que podem utilizar o mecanismo para ampliar ou renovar sua frota de veículos, sem se descapitalizar.

E como funciona?

O consórcio é uma modalidade de crédito baseada na união de pessoas, que podem ser físicas ou jurídicas. Elas contribuem mensalmente (ou como for estabelecido em contrato) para a formação de um “fundo comum”. Com os recursos desse fundo, a administradora responsável pela gestão do grupo vai liberando os créditos, até que todos os participantes tenham a oportunidade de adquirir o bem ou contratar o serviço desejado.

O momento da liberação do crédito é chamado de contemplação, que pode ocorrer de duas formas: por sorteio ou lance. No sorteio, todos os participantes em dia com suas obrigações concorrem em pé de igualdade. Já o lance, funciona como um leilão – vence quem oferta o maior valor ou percentual. Esse valor, que só é pago caso o lance ofertado seja o vencedor, é abatido do saldo devedor. Ou seja, o lance é um adiantamento de parcelas.

Fazendo um consórcio de caminhão

O primeiro passo para fazer um consórcio de caminhão é a escolha da administradora. Nesse momento, o mais importante é buscar uma empresa autorizada pelo Banco Central do Brasil, autarquia que define as regras e fiscaliza o setor de consórcios.

Definida a administradora, é hora de conhecer os planos disponíveis. Escolha um que se adeque ao seu orçamento, considerando o valor das parcelas e o prazo total para pagamento do plano. Informe-se também sobre as taxas cobradas, as condições do grupo e os critérios de atualização do crédito e das parcelas.

Antes de assinar o contrato de adesão, leia atentamente todo o documento. Nele, devem constar todas as informações do grupo e os termos prometidos pelo vendedor, além de seus direitos e deveres enquanto consorciado (como é chamado o participante de um grupo de consórcio).

O que acontece depois da contemplação?

Ao ser contemplado, o crédito é liberado após a apresentação das garantias, que costumam variar de acordo com o contrato e as condições do consorciado no grupo. Aprovadas as garantias, o crédito é liberado direto ao vendedor. Como o pagamento é feito à vista, você ainda pode negociar descontos e benefícios – veja aqui algumas dicas valiosas para te ajudar nessa negociação.

Com a liberação do crédito, o consorciado tem liberdade para escolher marca, modelo do caminhão, local de compra e ainda se o modelo será novo ou usado, conforme as condições contratuais. O participante tem até a possibilidade de optar por outro tipo de veículo, que não seja um caminhão. Isso porque o contrato de adesão estabelece a compra de veículo automotor. Portanto, tudo bem mudar de ideia e decidir usar o crédito para comprar carro, moto, embarcação, semirreboques, aeronaves, ônibus, tratores ou implementos agrícolas e rodoviários, por exemplo.

É possível ainda usar até 10% do valor do crédito do consórcio para pagamento de custos como transferência, registros e documentações.

Caso ainda tenha dúvidas sobre as condições contratuais para fazer um consórcio de caminhão, entre em contato com a VKN Consórcios. O e-mail é [email protected] o atendimento é gratuito!

Consórcio de imóveis pode contribuir com a aposentadoria

Para muitos brasileiros, a aposentadoria é um assunto que não gera preocupação, principalmente entre os jovens adultos. De acordo com uma pesquisa realizada pelo SPC (Serviço de Proteção ao Cliente), 57% dos entrevistados na faixa etária entre 18 e 24 anos não estão preparados para lidar com essa fase da vida.

Entretanto, a renda fornecida pelo INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) a quem já tem mais de 30 anos de serviços prestados não é garantia de tranquilidade. Muitos aposentados que dependem desse dinheiro enfrentam dificuldades para colocar as contas em dia. Por isso, especialistas afirmam que, para planejar o futuro, é necessário pensar em alternativas que complementem os ganhos e garantam segurança financeira.

Uma saída para aumentar a renda é investir no mercado imobiliário por meio do consórcio de imóveis. Ao optar pela aquisição de uma ou mais cotas para a compra de imóveis, o aposentado poderá, por exemplo, contar com uma receita fixa vinda da cobrança de aluguéis.

Vantagens do Mercado Imobiliário

Embora a economia brasileira altere-se constantemente, o mercado imobiliário permanece como uma opção segura de investimento, uma vez que, em caso de crise financeira, o dono do imóvel não corre o risco de sofrer a perda total de seu patrimônio.

O aluguel de imóveis de baixo padrão pode oferecer um retorno de até 1,5% sobre o valor do imóvel, o que supera os rendimentos de renda fixa, que ficam em 0,7%, em média. Já para quem pensa em investir em imóveis de luxo, chamados de alto padrão, a receita mensal pode chegar a 0,8% do valor do imóvel.

Agora, se a intenção é ingressar no mundo das vendas, uma boa dica é utilizar o consórcio de imóveis para adquirir um terreno em um condomínio fechado. Conforme outras casas forem sendo construídas nesse espaço, o seu lote ficará cada vez mais valorizado e você poderá vendê-lo com uma boa margem de lucro.

Então?! Vamos dar o próximo passo realizando uma simulação?

Por que planejar a aposentadoria?

Envelhecer é um evento natural e esperado. Por ser esperado, é muito importante que nos preparemos financeiramente, pois todos nós queremos chegar lá com qualidade de vida, não é mesmo? Vamos, então, falar de aposentadoria, ou melhor, da preparação financeira para isso.

Vamos começar fazendo algumas perguntas: o que você quer fazer no futuro, quando aposentar-se? Fazer o que gosta? Ter sossego? Segurança? Viajar? Ter qualidade de vida? Manter o mesmo padrão de vida de hoje? Seja qual for o seu desejo, é preciso preparar-se. Então, como você pretende atingir isso?

O planejamento para a aposentadoria exige fazer essa reflexão. É por isso que preparar-se envolve diferentes aspectos: os desejos, os sonhos e as escolhas de cada um. E seja qual for a sua escolha, uma coisa é certa, haverá implicações financeiras.

Por isso, esse é um dos aspectos mais importantes da educação financeira. Vamos tratar agora de três pontos bastante importantes para você refletir.

1. Aumento da expectativa de vida

Em 1980, a expectativa de vida do brasileiro estava em 62,5 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2012, ela subiu para 74,5 anos. Isso significa que, em 30 anos, a esperança de vida do brasileiro aumentou 12 anos. 

Mas nós sabemos que o futuro é incerto. Ninguém sabe até quando vai viver. Você pode esperar viver 73 anos, mas pode chegar aos 80 anos “vendendo saúde”. Isso seria ótimo, não? Você sabia que isso está cada vez mais frequente? Que tal preparar-se para viver com qualidade? Sejamos otimistas! E quer uma notícia boa? Até 2050 é provável que a expectativa de vida do brasileiro ultrapasse os 80 anos! Então, vamos nos preparar para viver mais e com qualidade.

2. Aumento do custo de vida

O aumento do custo de vida na terceira idade é mais um ponto para cautela. Muitos gastos sobem quando já estamos aposentados. Esse é o caso, por exemplo, dos gastos com planos de saúde e com medicamentos em geral. Certamente, esse é mais um caso que varia de pessoa para pessoa, de família para família, sendo mais um ponto para cautela na hora de planejar a sua aposentadoria.

3. Concretização de sonhos

Para alguns, a aposentadoria pode envolver a realização de viagens e cursos ou a dedicação a hobbies e a projetos sociais. São projetos que devem ser planejados, além da manutenção do padrão de vida desejado. Ou seja, se faz parte do seu projeto, por exemplo, uma viagem longa a cada dois anos, os custos dessa viagem devem ser planejados. O mesmo vale para quem quer se dedicar a uma nova profissão, por exemplo. Que tal pesquisar o preço do curso e outros custos envolvidos para cursá-lo?

Quem precisa se preocupar com aposentadoria?

A princípio, todos nós, independentemente da idade. Sabendo que dinheiro tem valor no tempo e que os juros compostos fazem crescer o montante de forma exponencial, é importante fazer um bom planejamento para o longo prazo e, quanto maior for o prazo, mais os juros podem trabalhar a nosso favor.

Assim, uma regra básica para o planejamento de sua aposentadoria é: quanto antes você começar a investir nela, menor será o aporte necessário para concretizar os seus sonhos. Portanto, que tal começar… hoje?

Uma boa sugestão é dar início à poupança para essa finalidade no momento em que começamos a trabalhar e a receber salário. Que tal poupar uma parte do seu primeiro salário para isso? Ainda que você tenha deixado para depois, a regra do “o quanto antes, melhor” permanece válida. Portanto, se ainda não começou, por que não agora? Não deixe o seu futuro, os seus sonhos nas mãos de ninguém. Faça algo por eles!

E você sabia que o consórcio pode ser uma excelente opção para aumentar a renda na aposentadoria? Saiba mais aqui.

Fonte: Portal Cidadania Financeira, do Banco Central do Brasil.